Índio: Do esteriótipo ao preconceito



Prezado leitor,

Ser indio é ser "Diferente na igualdade"

Há mais de meio século existe a data alusiva aos dia do índio, e há mais de meio milênio estamos sendo massacrados, expulsos de nossas terras e dizimados. Não tem nada nesse mundo criado por Deus que possa recompensar os Povos Indígenas pelas suas perdas. Mais isso não é motivo pra continuar com o desrespeito criado e sustentado contra o nosso Povo.

Nossa cultura é diferente de muitas isso é real, mais mesmo assim o que eu aprendi nesses 22 anos de vida é que “ser diferente é normal”. Esta frase significou muito pra mim, mais a vida me ensina que não é assim, que ser diferente é ser diferente.

Atualmente trabalho como professor em uma escola indígena, e quando pela primeira vez que encontrei a minha turma me alegrei, eram crianças de não mais que 09 anos de idades. Mais minha alegria foi cortada quando fiz a primeira pergunta “ quem de vocês são índios?”, eis que todos calaram e direcionei então a pergunta a cada um, e a resposta foi negativa.

O fato de que essas crianças se recusaram a ser auto-denominarem índio não é por outro motivo se não o estereótipo causado pelos uso frequente da imagem distorcida dos índios nos grandes meios de comunicação, assim como também nos livros didáticos circulados dentro das escolas indígenas.

Então caros leitores, ser índio não é ter que andar pelado, ou só de tanga, ser índio não é ter que viver nas aldeias sem conhecer: celular, computador, ou algum objeto usado pela a sociedade não indígena. Hoje temos que tomar cuidado para não ensinar nossas crianças a serem preconceituosas ou racistas. Por que se continuar a deixar que a TV, as Revistas de grande circulações e pelos próprios livros didáticos, estaremos deixando que nossas crianças se tornem cidadães ignorantes e sem conhecimento.

Pra terminar, gostaria que dizer que o Brasil é multirracial, e embora uns tenha o modo de vida diferente do outro ainda assim continuamos sendo todos iguais e gostaria de acreditar que todos possam ter os mesmos direitos.

No tags for this post.


Matérias recentes publicadas em: Ajudando o Professor



Clique aqui para ver todas as matérias em Ajudando o Professor Clique aqui para ver todas as matérias em Atualidade Clique aqui para ver todas as matérias em História



5 Comentários

  1. Mônica Lopes -  

    Concordo como você Alex Makuxi, o Brasil é multiracial e devemos valorizar cada uma das etnias. Tanto indígenas, quanto negras ou brancas.
    Quanto perdemos por perder de vista nossas origens e as origens de nossos vizinhos.

    12, abril 2013, 3:26pm  -  Responder →
  2. Mariana Lima -  

    Belo texto, Alex! É essencial que se tenha essa consciência de que não há problema nenhum no fato de o índio poder entrar em contato com a tecnologia. E mais, deve-se ter orgulho mesmo de ser índio, pois antes de qualquer outro povo, vocês é que constituíam esse país. Os considerados “brancos” de hoje, são também fruto da sua cultura. Um abraço!

    16, dezembro 2013, 7:40pm  -  Responder →
  3. Bárbara Funke Haas -  

    Obrigada, Alex, pelas orientações, como professores temos que ter muito cuidado em nao repassar estereótipos e preconceitos para nossos alunos. Hoje passei para eles um vídeo muito legal sobre as brincadeiras dos índios Panará, do Território do Brincar. E depois pedi que escrevessem uma mensagem para voces. Por isso acho que entupi a caixa de mensagens de vocês…Desculpem.
    Trabalhamos diversas lendas indígenas, como a do Guarana e da Mumuru. E ouvimos uma gravação dos índios guarani daqui de SC. Estudamos alguns grafismos corporais. Os alunos estão adorando tudo o que estão aprendendo, mas ainda tem preconceitos sobre alguns aspectos, como viver só na floresta, andar nu, etc.

    Um grande abraço, a parabéns pela página.
    Bárbara, professora de Música de Florianópolis, SC.

    06, novembro 2014, 8:03pm  -  Responder →
  4. DEIVIDE moraes - -  

    meu avô é indígena, mas foi criado por uma família não indígena. Pra lei não sou considerado um, não só por isso, mas também pelo fato de eu não usar “arco e flecha”
    é o dilema que muitos sofrem, o estereótipo… se não fala língua indígena, deixou de ser índio, se é índio, é primitivo…a cultura criou uma prisão folclórica ultrapassada. lamentavelmente… tantas riquezas culturais, línguas etnias etc e etc, a conhecimento pra explorar …e o brasileiro admirando o que vem de fora…

    05, abril 2016, 12:00am  -  Responder →

Deixe um comentário

- Você está autenticado como . Sair →