Licenciatura Indígena Teko Arandu formou a primeira turma no sábado, dia 22 de Outubro.



No dia 22 de outubro ás 10h, colou grau a primeira turma da Licenciatura
Intercultural Indígena Teko Arandu da Universidade Federal da Grande Dourados
(UFGD). A colação aconteceu às 10h, no auditório da Unidade II, na tenda Aty
Guasu Oikahatype.As homenagens da turma foram para o professor Dr. Levi Marques
e Nelson Batista, escolhidos como paraninfos, ao professor Damião Duque e Tereza Espíndola, que são os patronos e ao professor Dr. Renato Gomes Nogueira, que dá
nome a turma.O curso, iniciado em 2006, tem habilitações em Linguagens,
Matemática, Ciências Sociais e Ciências da Natureza. Os trabalhos de conclusão de
curso apresentados pela turma abordam temas voltados para suas comunidades,
como forma de aliar os conhecimentos adquiridos na universidade às vivências e
práticas da realidade sociocultural Guarani e Kaiowá.

Formandos:

Adão Benites, Adriano Morales, Claudemiro Pereira Lescano, Delfino Borvão,
Edson Alencar, Edvaldo Nunes, Eliel Benites, Eliezer Martins, Elizabete Fernandes, Enoque Batista, Geraldo Carlos, Ifigeninha Hirto João, Ilda Barbosa, Iracy Lima Benites,
João Carlos Vilhalva Mota, Joaquim Adiala Hara, Jonatas Duran, Katiana Carvalho,
Ládio Veron, Léia Aquino, Lídio Ramiris,Maciel Cáceres, Marcilene Lescano,
Maria de Lourdes Nelson Cáceres, Marlene de Almeida, Natanael Vilharva Cáceres,
Nilton Ferreira Lima, Osmar Marques, Otoniel Ricardo, Renata Castelão,
Rodinei Ramires Marques, Rosenildo Barbosa de Carvalho, Sergio Velário,
Tomas Vera, Udo Pires, Valdelice Veron, Valentim Pires, Vicente Morales e
Zenildo Lopes.
Parabéns a Todos os Formandos.

No tags for this post.




Clique aqui para ver todas as matérias em Atualidade



6 Comentários

  1. Sinvaldo Wahuka Kara -  

    É muito importante falar de nós mesmo para as pessoas que não tem conhecimento como são os índios, a maioria pensam de nós que não existimos mais, e que nós não somos índios, índios pra ele eram aqueles, os nossos antepassados, eram enganados, eram massacrados e muitas vezes eram mortos pelos não-índios. Nós somos sobreviventes e ainda falam que não somos índios, eu gostei da criação do site. Um grande abraço a todos.

    Wahuka Karajá – Goiânia – GO.

    03, novembro 2011, 9:42am  -  Responder →
    • Sabrynna -  

      Sinvaldo, muito importante e forte sua fala. E parabéns por ser um dos muitos sobreviventes desta nova cultura globalizada e mecanizada, mantendo sua cultura e tradição, e vamos a luta parente!

      17, novembro 2011, 9:20am  -  Responder →
      • Chairat -  

        disse:a proposito do dia do c3adndio, uma enuteqe no site do governo federalc38dndios estc3a3o decidindo quem pode representc3a1-los. Para vocc3aa, isso significa 1. Uma conquista para os diferentes povos no relacionamento com o Estado42% (119)2. Dificuldades futuras jc3a1 que diferenc3a7as c3a9tnicas criam conflitos entre eles 26% (74)3. Uma prova de que o Estado brasileiro garante o respeito pleno ao direito dos c3adndios 30% (84)Nc3bamero total de votos: 277

        17, julho 2013, 5:03am  -  Responder →
  2. maria rosangela -  

    sou bisneta de índio,minha mãe não sabe certo a tribo;mas hoje reconheço a lutas dos índios pelos seus direitos como todo cidadão brasileiro.

    16, abril 2012, 9:42pm  -  Responder →
    • Micheli -  

      Então você também é nossa parenta. Você sabe que região do país era sua bisavó?

      20, abril 2012, 5:02am  -  Responder →
      • Tristan -  

        Elaine Dal Gobbo disse:Legal falar um pouco sobre a questc3a3o indc3adgena. O questionamento sobre a existc3aancia de se ter algo para comaomrer tambc3a9m c3a9 pertinente. Contudo, nc3a3o vejo no dia do c3adndio uma data feita para comemorac3a7c3b5es, e sim, de lutas. Claro que a luta deve ser feita durante todo o ano, mas esse dia c3a9 aquele no qual a mobilizac3a7c3a3o tem que ser maior como forma de chamar mais atenc3a7c3a3o da sociedade. Nc3a3o somente o dia do c3adndio, pois hc3a1 outros exemplos que podem ser citados, como o dia da mulher. Essa tambc3a9m c3a9 uma data de luta, debate, protesto, c3a9 necessc3a1rio esse dia para chamar mais atenc3a7c3a3o da sociedade quanto a discriminac3a7c3a3o que a mulher ainda sofre. Porc3a9m, infelizmente, existem aqueles que querem lucrar emcima do dia da mulher, fazendo dessa dia uma data comercial.

        16, julho 2013, 9:29am  -  Responder →

Deixe um comentário

- Você está autenticado como . Sair →