OCA INDIGENA DE ARTE E CULTURA



    O índio quando vivia no seu estado natural, seguia seus princípios culturais, clãs, tótens, tendo no chefe da família a unidade social, a base da comunidade. Neste tempo as crianças aprendia com anciões, pais, artesões, caçadores, pescadores, ceramistas, enfim uma gama de atividades que compõe a totalidade da cultura e artes de seu povo indígena. ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Incultura%C3%A7%C3%A3o ).
Com a chegada dos jesuítas foi implantado nas comunidades indígenas a ” Inculturação, para fazer o índio aprender outra cultura a força “, para os nativos esquecer suas origens, introduzindo nova língua, novo Deus, novos cantos, novas artes, outra religião, com rezas, sistema capitalista de produção agrícola, muitas proibições.
Chegou a Aculturação, mudanças que podem acontecer em uma sociedade diante de sua fusão com elementos culturais externos, geralmente por meio de dominação política, militar e territorial. Segundo Nathan Watchel, aculturação é todo fenômeno de interação social que resulta do contato entre duas culturas, e não somente da sobreposição de uma cultura a outra. ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Acultura%C3%A7%C3%A3o  ).
Numa outra na Enculturação os indígenas aprenderam as exigências da cultura inserida, adquirindo valores e comportamentos que são tidos como apropriados ou necessários naquela cultura nova absorvida. ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Encultura%C3%A7%C3%A3o ) .
Após atraversar-mos todos os períodos da História do Brasil Colonia, Império, e República, atualmente deparamos, enfim com a Transculturação ligada à transformação de padrões culturais locais a partir da adoção de novos padrões vindos através das fronteiras culturais em encontros interculturais ou migrações transacionais, envolvendo sempre diferentes etnias e elementos culturais. ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Transcultura%C3%A7%C3%A3o  ) .
Será que o caminho é a Etnicidade !!!  Segundo Riesman, etnicidade é a autoconsciência da especificidade cultural e social de um grupo particular, ou seja, o fato de se pertencer a um grupo culturalmente ligado. Essa definição, segundo ele, nos remota as principais considerações sobre etnicidade que seriam, portanto, a definição da natureza das relações étnicas, a percepção do papel social dos indivíduos no seu próprio grupo e fora dele. ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Etnicidade ) .
A Educação Indígena  levou o índio a aprender novos elementos culturais, abandonando suas raizes ancestral, mesmo na atualidade, a valorização da cultura, ensino bilíngue, muitas vezes fica só na teoria, somente poucos grupos exerce esse direito constitucional. Quase nenhum jovem indígena hoje tem pretenções de ser agricultor, caçador, pescador, artesão, somente aqueles adultos que não estudaram trabalham neste ofícios tradicionais.
Corremos grande risco de perder-mos nossa cultura, porque para preserva-la é necessário pratica-la, arco e flecha, maracá, ceramica etc… em museu não garante nosso patrimonio cultural. Escola é o prédio onde praticamos a Educação, mas de onde vem essa tecnologia de construção da casa, telhas, tijolos, cimento ? Os índios sabem trabalhar esse ofícios dos brancos ? No ensino desse escola leva o artesão, o pescador indígena para a sala de aula junto aos alunos, no intercambio de saberes ?
Vamos pensar numa Oca Indigena de Arte e Cultura, esse seria o nome da Educação Indígena. A Oca é a casa nossos indígenas moravam, para construi-la tem todo um processo tradicional de construção com varas, troncos, palhas, cipós e grande participação coletiva, uma Educação de verdade. Dentro da Oca seria como no princípio nativo, aberta jovens aprendendo a confecção de artesanatos, ceramica, pintura corporal, cantos e danças, língua, ofício de pescador, agricultor etc…

Nhenety Kariri-Xocó.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No tags for this post.




Clique aqui para ver todas as matérias em Cultura



Sem comentários

Deixe um comentário

- Você está autenticado como . Sair →