HISTÓRICO DA COMUNIDADE INDÍGENA DE CAMARARÉM



COMUNIDADE CAMARARÉM

O nome da comunidade indígena de camararém tem seu significado baseado em uma história que foi passado de pais para filho, onde o mito da aldeia inicia a partir do momento em que existia um morcego muito grande que se transformava em pessoas, e que se alimentava das pessoas da própria comunidade quando saiam para fora de madrugada para fazer suas necessidades fisiológica .

Segundo os mais velhos da comunidade a população que habitavam no passado na aldeia perceberam que a as pessoas estavam diminuindo e não sabiam o que estava acontecendo e decidiram pegar um vovozinha que estava doente quase para morrer e amarraram tição de fogo em sua perna .Com isso deixaram ela no final do terreiro e alguns homens ficaram observando com suas armas tradicionais (flecha, sarabatana) para ver o que acontecia, no decorrer do tempo veio o morcego chamado na língua macuxi de KAMARAN, pegou a velha e levou para sua casa em cima de uma serra, observando isso as pessoas descobriram o que estava acontecendo acompanharam o morcego ate a sua casa durante a escuridão onde foram se norteando por meio da tição de fogo ,ao chegarem no local depararam com caveiras das pessoas que o KAMARAN se alimentava.

No dia seguinte todas as pessoas se reuniram e colheram variedades de pimenta como: pimenta malagueta, pimenta murupi, pimenta olho de peixe e pimenta canaimé entre outros , de acordo como planejado foram tocar fogo nas pimentas na entrada do buraco da casa do KAMARA. pois só assim conseguiram acabar com a vida do morcego que morreu intoxicado.

No passado a comunidade era chamado pelos mais velhos de kamarayen( que quer dizer buraco do bicho kamaran) depois da chegada de outras culturas dentro da cultura macuxi passou a ser conhecido atualmente de camararém.

LOCALIZAÇÃO. A comunidade indígena de camararém esta localizadas ao norte de Roraima na terra Indígena Raposa Serra do Sol, a 360 km da capital Boa vista na região da serra no município de Uiramutã -Roraima, sendo todos do povo Macuxi e minoria falantes.

VIA DE ACESSO ACESSO. para se chegar na comunidade indígena de camararem é necessário realizar o percurso pela BR 174 destino a Venezuela e percorrer a RR 220 cascalhada destino a municipio de uiramutã,geralmente o percurso se realiza entre oito horas por meio de onibus e pick py em cinco horas.

POPULAÇÃO. A comunidade indígena camararém é composta de 180 pessoas com 32 pais de famílias macuxi, tendo acesso via estradas de chão, durante o ano todo.

SAÚDE. A comunidade é atendida pelo convenio da SESAI e juntamente com município que trata da saúde da população na região, a cada quinze dias a equipe de profissionais de saúde realizam atendimentos a população, realizando exames de pré-natal, tratamento dos dentes, palestra sobre higiene, vacinação entre outros.

EDUCAÇÃO: na comunidade existe a escola de ensino fundamental de 5º a 8º serie com total de 68 estudante onde tem um transporte escolar que carregam outros estudantes de comunidades vizinhas como lilás, caxirima e cachoeira .um dos problemas mais frequentes da educação escolar é a falta de Infraestrutura pois a escola tem duas sala de aula e atende as turma de 1º,2ºe 3ºperiodo que são estudantes matriculado via a município e estudantes 1ºserie a 8º serie matriculados a via estado..

COMUNICAÇÃO: o principal meio de comunicação da comunidade camararém é através de radio fonia localizado no centro da comunidade, e celular que muitas das vexes tem que subir em cima da serra para se comunicar.

LOCOMOÇÃO: o deslocamento das pessoas desta comunidade para capital Boa Vista e à sede do município de Uiramutã é através do ônibus de linha e van e para outras comunidades são feitas viagem de bicicleta, cavalos, carros ,moto e a pé.

AGRICULTURA: a comunidades ainda praticam a agricultura de subsistência, plantando mandioca, abóbora, banana, pimenta, apenas para o seu consumo diário e não tem excedente. Um dos principais fatores que dificulta a produção é a carência do solo em nutrientes essenciais para as plantações.

PECUÁRIA: nas comunidades também são criados animais de pequeno porte como frangos, patos, picotes e grande porte como bovinos, que servem como fonte de alimentação, além da caça, pesca e o extrativismo. As criações de animais é fonte alternativa de geração de recursos nas comunidades, mesmo criados de forma super – extensivo conseguem atender algumas demandas.

OUTRAS FONTES DE RENDAS: na comunidade existe pessoas que são beneficiados pelo programa do governo federal como bolsa família, auxilio maternidade, vale solidário, aposentados. e funcionário do estado como professor. Estas são as fontes de renda que movimenta a economia comunitária.

PARCEIROS: a comunidade tem como parceiros de trabalhos as organizações indígenas como CIR, SODIUR,OPIR,OMIR, FUNAI, e Prefeitura em projetos pontuais e contribuição em alguns trabalhos realizados nas comunidades.

TURISMO E LAZER: Na comunidade existem muitos lugares para fazer trilhas nas serras, o espaço geográfico oferece bastante cachoeira, e o ponto turístico da comunidade é visita em sítios arqueológicos, e variedades de culinárias caseiras tradicionais variedades de banana sadia sem uso de adubo químico, paçoca, caxiri de mandioca, damurida e esporte como vôlei, futebol e forro nos finais de semana.

   

Comunidade Camararém

           

Comunidade Camararém
   Comunidade Camararém – Sítio Arqueológico
No tags for this post.




Clique aqui para ver todas as matérias em Cultura Clique aqui para ver todas as matérias em História Clique aqui para ver todas as matérias em Quem Somos



4 Comentários

  1. Mônica Lopes -  

    Gostei da história.
    Só uma ideia.
    Sempre penso que turista desnorteado é destrutivo. Mas se bem orientado e assessorado, tornam uma ótima fonte de renda.
    Por que não mostrar essa linda cultura que vocês tem a eles. Como encenação mesmo das várias histórias da comunidade.
    Ai vocês poderiam escrever livros sobre essas histórias e vender aos turistas no final de cada encenação.
    Como enriqueceria nosso país.
    :)

    30, janeiro 2013, 1:27pm  -  Responder →
  2. Hemerson Pataxó -  

    Muito beem, Alex!
    Achei muito interessante a História do nome da Comunidade Camararém, todos os costumes da cultura são bastantes atrativos.
    Abraos a todos.

    30, janeiro 2013, 7:07pm  -  Responder →
  3. Everi Lopes da Silva -  

    Sou de Belo Horizonte MG, estou fazendo o CUPI na UFMG – Curso d eformação d eprofessores na temática e história dos povos indígenas- , é através deste curso que estou tendo a oportunidade de conhecer esta belísima página, cheia de riquíssimos conteúdos que nos ensinam a viver melhor. Excelente!

    28, outubro 2014, 3:04pm  -  Responder →
  4. kailane -  

    nao entedir

    12, agosto 2015, 10:05pm  -  Responder →

Deixe um comentário

- Você está autenticado como . Sair →