DEFENDENDO E DIVULGANDO SÍTIOS ARQUEOLÓGICO DE CAMARARÉM – TERRA INDÍGENA RAPOSA SERRA DO SOL



Preocupados com a valorização e preservação dos patrimônio na comunidade, está sendo realizado um Mapeamento dos sítios arqueológicos para que possamos identificar lugares existente na aldeia e ter um controle, divulgar esse patrimônio para outras comunidades terem conhecimento e acesso, incentivando promovendo a educação patrimonial indígena na aldeia.

È importante também destacar que de acordo a legislação federal todos os bens arqueológicos estão sobre a proteção da união por isso é ilegal o comercio de qualquer objeto com o valor arqueológico isso a destruição e mutilação e a inutilização física do patrimônio cultural são infrações puníveis por lei nenhuma pessoa tem direito de destruir mutilar ou depredar esse patrimônio ,pois assim fazendo ela não apenas está degradando um bem comum como também estar causando a perda irreparável de conhecimento sobre sua própria historia..

Cuidar do nosso patrimônio é tarefa que cabe não apenas a órgão governamentais .No nosso cotidiano também podemos promover a preservação desse patrimônio ensinar os nossos filhos o valor os bens culturais, envolver se diretamente ou indiretamente na luta pela preservação dos patrimônio ameaçados de desaparecimento e ajudar a informar, divulgar a importância desse bens culturais para a sociedade.

Este trabalho é uma iniciativa que tem por finalidade melhor compreender as principais ferramentas de proteção e preservação, o valor dos sítios arqueológicos e despertar a sensibilidade na população para a necessidade de preservação do patrimônio cultural.

Esses lugares podem ser verdadeiros documentos sobre a presença humana no território indígena e sobre as histórias que deram vida ao povo indígena nas terras que hoje correspondem ao estado de Roraima, tais como: Macunaíma, Anike, Insikiran pois é isso que identifica o povo indígena e fortalece a sua identidade, que muitas das vezes não é reconhecido.

Esses patrimônios culturais existentes nas terras indígenas demostram uma rede de comunicação visual utilizada pela população que habitaram em diferentes épocas através das pinturas rupestres e dos lugares sagrados. Conhecer e preservar este patrimônio é uma forma de manter vivas as lendas que tem são de importante valor e significado para determinadas comunidades indígenas.

Muitas vezes por falta de informações esses lugares não estão sendo respeitados, pelos não índios e pelos próprios indígenas, as terras indígenas continuam sendo alvo de grandes empreendimentos que podem destruir esses chamados lugares sagrados conhecidos como sítios arqueológicos, pois o estado não está preocupado com o valor cultural e sim com o recurso financeiro e um dos exemplos bem claro que temos visto nesses últimos tempos é a Proposta de Emenda Parlamentar – PEC dos deputados do Estado de Roraima, que pretendem retirar do tombamento estadual dos bens de importância cultural as Corredeiras do Bem-Querer.

Portanto, trazer essa discussão para a comunidade é muito importante para a proteção e a preservação desses lugares de forma coletiva, pois tem a ver a manutenção da identidade cultural dos povos indígenas de Roraima, e com o futuro que desejamos que os nossos descendentes tenham. Se os desejamos o melhor, temos que garantir que os conheçam a sua herança cultural, para evitar que os mesmos tenham a sua educação corrompida por valores importantes para outros grupos culturais.

DESCRIÇÃO DO SITIOS ARQUEOLOGICO-URNAS FUNERARIAS

O sítio arqueológico encontra-se localizado na comunidade indígena de Camararém na terra indígena raposa serra do sol a 310 km da capital de boa vista na froteira com a Guiana em cima de uma serra na margem do rio maú.O que irei apresentar é um sitio de urnas funerária que encontra se em perfeito estado em um abrigo sem acesso a raio do sol, nesse sítios encontra pinturas rupestre, cestaria, e cerâmica.

Autor: Elder Silva Marques

Graduando em Gestão Territorial Indígena Pela Universidade Federal de Roraima.

È um colaborador da rede Indio Educa

Contato: falecomsilvamarques@gmail.com

No tags for this post.




Clique aqui para ver todas as matérias em Cultura Clique aqui para ver todas as matérias em História



3 Comentários

  1. Hemerson Pataxó -  

    É muito bom que se preserve esses valiosos fragmentos do passado, pois isso fortalece o espírito indígena com a terra a qual ele pertence.

    30, janeiro 2013, 7:15pm  -  Responder →
    • Marion -  

      on 10/10/2006 Ole1 Luiz,Cheguei aqui atrave9s de um link na lista Blogosfera e gostaria de dizer que esretai acompanhando o seu blog.Me interessou muito o subtedtulo porque tenho um blog sobre informae7e3o, ente3o com certeza estaremos conversando mais pra frente!Ate9!

      17, julho 2013, 12:23pm  -  Responder →
  2. Maria Isaura de J. Melo Vieira -  

    Gostei muito de conhecer este site,comecei agora mas já gostei de ver pelo interesse mostrado em preservar os sítios arqueológicos que vos pertence, que na verdade devem ser cuidados como verdadeiros lugares sagrados dos indígenas;
    Lugares que evocam ao passado e a seus antepassados, que começaram a vossa civilização. Que eles estejam convosco até o fim.

    13, setembro 2014, 10:20pm  -  Responder →

Deixe um comentário

- Você está autenticado como . Sair →